terça-feira, 24 de junho de 2008

... talvez tenha acontecido assim...

- Você não foi a primeira Carolina... mas, algo ocorreu naquela noite... talvez tenha sido porque você foi a número 8... talvez tenha sido a maneira como nos conhecemos... você, ao contrário das outras, sabia que estava indo encontrar um serial killer. Você, ao contrário das outras, não gritou. Você, ao contrário das outras, queria a morte. Talvez, tudo tenha acontecido assim:

Foram 321 passos até o carro. 12 minutos passando por dois bairros até chegar ao bar onde marcamos o encontro. 07 minutos de espera até ver você chegando. Cabelos loiros, falsamente cacheados. Blusa azul, calça jeans. 1,65 no máximo. Você mente! Mas não no peso. Você realmente estava um pouco acima do peso. Uma mulher normal. Provavelmente eu não a teria percebido se passasse ao seu lado na rua. Mas, se a olhasse nos olhos eu sentiria o que só fui perceber depois.

Você me esperou no bar durante 47 minutos. Eu não cheguei. Eu nunca chego aos encontros marcados. Não gosto de ficar conversando banalidades. Eu gosto de ir direto ao ponto. Você saiu do bar e foi em direção à praça. Você realmente estava procurando algo naquela noite. Você só não sabia que iria encontrar. Não sabia ainda...

Na praça, você sentou no banco e tirou um livro da bolsa. "Cidade do Sol". Você não leu o livro, ficou segurando-o como se quisesse que alguém o visse. Você ficou 17 minutos esperando. Eu pensei em ir ao seu encontro nesse momento. Já era tarde da noite e o movimento na praça era suficientemente calmo. Outra mulher chegou e foi em sua direção. Não sei dizer ao certo se você a aguardava ou não... mas você não se surpreendeu com a chegada dela.

Não consegui contar 01 minuto no relógio e vocês duas já estavam saindo. Eu as segui. Quando entraram no motel eu decidi ficar aguardando. Eu nunca tenho pressa. Foram 88 minutos até que a outra mulher saiu de lá, chorando. 08 minutos eu esperei que você saísse... Você não saiu.

Eu entrei...


- Você não foi a primeira Carolina... mas, algo ocorreu naquela noite... talvez tenha sido porque você foi a número 8... um número infinito... talvez tenha sido a maneira como nos conhecemos... você, ao contrário das outras, sabia que estava indo encontrar um serial killer. Você, ao contrário das outras, não gritou. Você, ao contrário das outras, queria a morte. Talvez, tudo tenha acontecido assim.

18 comentários:

Rob Gordon disse...

Max, eu tenho medo de você.

Amelie disse...

Opa, a coisa comecou a se desenrolar!

Tyler Bazz disse...

Caralho! Se eu não soubesse que foi o Max que escreveu... se eu lesse isso na F. de SP, eu diria: parece coisa do Max!!!

Ficou ÓTIMO, como sempre!

E a história intriga......

MaxReinert disse...

hauhauhauahuahuahuahuahuahua

Rob: Tenha!

Amelie: Poxa.. e eu que pensei que tinha enrolado mais... :(

Tyler: Se quiser pode me indicar pra alguém da Folha.. tô precisando de grana e......

Dragus disse...

Nossa.

Esse foi doentio... Tinha que ser do Max. =p

eumesmo disse...

Estou gostando!
Diferentes cabeças, diferentes visões.
Quem é o próximo?

Deisinha Rocha disse...

adorei!!!

e me empolguei!!!!

rsrsrs


ficou 10, max...

Nina 512 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Amelie disse...

Sim, mas quanto mais desenrolar, mais dá pra enrolar de volta!

MaxReinert disse...

Poxa... juntei duas coisas nos comentários e fiquei com medo de mim mesmo:

* o texto tem a minha cara!
* o texto é doentio!

[:o]

Rob Gordon disse...

O que nos leva novamente ao primeiro comentário deste texto.

Max, eu tenho medo de você. Mesmo.

teodorO disse...

quem é o próximo??

geofrontmarcio disse...

Você desenrolou mesmo... desenrolou o medo e angustia.

Tá ficando forte.

Fábio Buchecha disse...

Max, se já tinha medo de você depois de ler seu texto "Cala a boca Porra!", agora tenho mais medo ainda.

Medo e admiração.

Aguardando ansiosamente a próxima parte, e preparando um post de divulgação para colocar no blog esse fim-de-semana. Aliás, Rob, posso usar a imagem que você usou para divulgar lá no Champ?

=P

___________________________________
TemPraQuemQuer

Gilgomex™ disse...

Ah... É... Ih!
Óóóó.
Uhuuu!

Tá indo muito bem esse projeto aqui.
A blogandade precisa de coisas assim para dar uma arribada nesse mundinho dos escritores phodásticos, que gostam de se divertir, divertindo outros.

Danielle Ribeiro disse...

Que medo...
Não consegui definir até agora o que senti ao ler este texto,acho que angústia,aflição,pânico...Sei lá...
Só sei que nunca quero cruzar com vc na rua...
Eu héin...Gostei!rs
Parabéns pelo blog! ;)

Stephanie disse...

o texto tá bem escrito a beça, é tenso e puts, o próximo vai ter que ralar pra dar seguimento a trama, essa de motel com uma mulher, hein...

vamos ver o que vem por aí.

;)

Bel Lucyk disse...

Max, preciso concordar:
o texto é sua cara!
kkkkk
muito bem escrito! =)